Loading...

Caros corajosos!

Saudações...sejam bem vindos ao meu humilde casulo que ainda teço!
Se não conseguirem compreender algo... nem tentem mais...até porque tudo o que aqui é mostrado sai da mente de uma pobre borboleta!
GRATA

"Torna-te quem tu és"!

"Torna-te quem tu és"!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Valde eu te amo... incondicionalmente...
Não aparece mais nos meus sonhos, parece distante... eu não quero que vá embora, te quero junto comigo de alguma maneira...
Todos os dias me pergunto porque isso foi acontecer... a resposta nunca vem... essa de que as coisas acontecem porque devem acontecer não me basta, mas é a única coisa que tenho...
Faz quase um ano e três meses, e a ferida lateja... de lá pra cá quantas válvulas de escape aderi... devo estar te decepcionando... mas vou enlouquecendo dia a dia...
Eu estou perdida no tempo e no espaço... você não podia me faltar... não podia!
Ai Valde, dói tanto... ai Valde quantas vezes suplico que me busque!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Embaixo dos escombros...

É bom recordar o passado, mas ele já não nos cabe...
Ficou pra trás e obviamente não vai se repetir...
A distância é tão grande que me machuca... já não posso mais pensar, e nem querer, pois as possibilidades foram descartadas.
Se pudesse escolher mudaria essa condição... tornaria as lembranças em um novo futuro, mas não dá... são só lembranças... 
Não vão deixar de ser importantes, mas do jeito que andava não podia continuar... comecei a me sentir estranha no território que era meu, vim a sofrer com essa constatação, e foi dali que um choque de realidade aconteceu...
Senti a necessidade de me afastar, pra não continuar me matando aos poucos... essa decisão me mata também mas há de cessar... só se começa uma reconstrução após a destruição!
Estou fechando as portas, virando as costas e mirando o horizonte... isso é dolorido, mas que saída tenho?
Nenhuma... o destino se encarregou de demolir tudo o que eu tinha, pra eu começar do zero...
Nada será apagado, será apenas aquele livro que já li e deixei na minha estante... 
Em algum lugar no tempo aqueles personagens continuam existindo... em algum lugar no tempo tudo sempre vai ser como foi... mas só naquele lugar...
Só eu e Deus sabemos o quanto está me custando isso... e só meu travesseiro é testemunha de quantas lágrimas ele está abrigando...






"Não esquece que eu te amo, e que nada no mundo é mais importante do que você!"

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Chorei...

Hoje, para se precisa agora, as lágrimas jorraram dos meus olhos...
Essa ingratidão da vida continua me revoltando!... Ela se encarregou de tirar praticamente tudo que eu tinha de valor...
Me sinto sozinha como sempre... 
Vivo bons momentos, mas eles não preenchem meu vazio ...
Confesso ter medo de que isso nunca mude... e tenho uma breve impressão de que não vá mudar mesmo!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Tentativas...

Sempre quis tudo pra ontem, esperar nunca foi meu ponto forte...
Era pra ser já e agora, que tudo fosse consumado, nem que esse tudo se resumisse num momento só...
Agora por força do passado e do destino, mudei de opinião...
No passado forcei demais o que podia ter deixado pra depois, insisti ... necessitava do breve e acabei atropelando tudo... atingindo alvos errados e sendo atingida também... equívocos e mais equívocos...
A sensação depois desses feitos foi ruim... muito ruim... mas o resultado hoje ainda se mostra positivo... no final ganhei mais do que perdi, porém, perdi muito.
Não quero construir no meu agora a mesma coisa... porque não quero um futuro desastroso como foi "ontem".
Tenho calma, posso refletir sobre tudo que me rodeia... tento dar passos mais vagarosos, entretanto, mais certinhos.
Deixei a urgência de lado, e optei pelo ameno, que possa me trazer ganhos aos poucos... simplesmente, pra que eu possa sentir o sabor em sua plenitude.
Pareço estar me desconfigurando, mas estou apenas tentando mudar de método...
Não garanto continuar nessa ideia mas no meu presente o que sei é que ele é meu e eu sou dele... e que eterno seja enquanto dure... e que essa eternidade seja mais longa e prazerosa possível!
É mais uma tentativa... e se vai dar certo só o tempo poderá dizer!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Mais uma realidade!

Inspirada por uma postagem do meu amigo Robson, venho hoje escrever mais algumas besteirinhas...
Sim, vivemos numa sociedade padronizada. Somos subdivididos por classes sociais, sendo que a de maior poder dita as regras...
Querem ver os demais submissos e quietos.
Não querem revoluções nem opinião...
Só mudam seus "decretos" quando extremamente necessário... 
Percebe-se na análise mesmo da constituição federal e códigos... eles deixam brechas... e seríamos idiotas se pensássemos que elas foram deixadas casualmente, involuntariamente... a coisa mais lógica é que isso foi feito propositalmente, com fins óbvios de favorecimento para alguns... a minoria.
Isso está errado, o planejamento estatal está errado, o "se mostrar" para ELES está errado... são ELES que manipulam a grande massa, motivando-os a não aceitar as diferenças, a abominar a espontaneidade.
Não pretendem ouvir, nem realizar por vontade de todos... não admitem contestações, não podem ser contrariados...
A lei é deles, e nós ou muitos de nós pensamos que é o certo...
Somos fantoches, nos acomodamos e concordamos com esse fato...
SOMOS um povo ridículo que abaixa a cabeça frente aos absurdos... 
Estamos fazendo o que querem... porque povo inteligente e questionador é muito perigoso!

domingo, 23 de outubro de 2011

Mais um acontecimento!

Estava mais uma vez, como tantas outras, envolvida pela escuridão, olhando pro céu... olhando para minha volta... foi quando olhei pra debaixo da janela do meu quarto e vi um gato... ele me fitava com seus olhos brilhantes que mais pareciam faróis do que olhos...
Aquele olhar era profundo, cheio de significado... parecia que o bichano queria se comunicar comigo...
...eu o olhava intensamente também... me perguntava o que já nessa vidinha ele já tinha passado, quais são seus medos, seus fantasmas, quantas vezes ficou eufórico, quantas ficou depressivo... me indagava no sentido... quais foram suas perdas? como foram teus dias? tens chorado ou se divertido?
Não sei... mas pude imaginar alguma coisa... neste espaço de tempo ele continuou lá... guardando minha imagem... e eu fechei a janela deixando aquele feixe de luz lá fora...





























quinta-feira, 20 de outubro de 2011

"Nas nuvens"

O via e queria estar perto... desde o início... 
A sensação de passar por isso já tinha se tornado desconhecida, vaga, muito distante... não sabia mais o que era, mas vim a saber...
Meu coração batia descompassado, de fato, a cada aproximação, a cada toque despretensioso... 
E hoje pude provar a mim mesma se o que eu estava sentindo tinha raízes, se era realidade...
Tem raízes, é real... 
As horas passaram voando, mal pude perceber os ponteiros do relógio se movendo... se pudesse ainda estaria lá, de braços entrelaçados.. diria perfeito se perfeição existisse!
Está ótima a situação... o medo me abana mas continuarei a ignora-lo... não posso e nem quero me privar disso...
Encontrei o que queria mas que reprimia nas profundezas do meu ser... 
Se for um sonho, me deixem dormir!...Quero curtir minha "apaixonite" aguda até quando puder!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Hoje sentada no cordão da calçada observava tudo..., os carros, as pessoas ao longe, os bichinhos... o chão!
Nem percebia o tempo passar, só analisava tudo despreocupadamente.... Foi quando passou na minha frente um caminhão gigante, barulhento e vermelho... vi suas rodas enormes girarem rápido seguindo em frente...
Nesse instante pensei... que poder teria esse veículo diante de uma pobre criatura como eu?! que força meus frágeis ossinhos teriam comparando com aquele monstro passante?!
A resposta é tão lógica, tão comum, tão obviamente óbvia!
Sou um pequeno ser em meio a tudo... um pequeno ser que criou tudo isso e que pode ser engolido pela criação...
Parece estúpido isso mas... nem toda verdade é inteligente!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Sem criatividade!

Me encorajei de ler tudo que vim escrevendo ao longo de todo esse tempo de existência do "Diário de uma Borboleta"...
Consigo me encontrar nas postagens... engraçado, a gente troca a roupagem mas não o corpo!
O corpo é o de sempre, porque esse tipo de natureza mesmo sendo fácil agredir não se destrói com a mesma facilidade!
Não sei onde estão as roupas velhas mas estou com saudades delas... ainda tirarei o tempo para vasculhar a casa a fim de encontra-las... me satisfaziam, de uma maneira estranha eram bonitas, incomuns e principalmente minhas!
Dessa vez eu volto, e logo... sinto sede de mim mesma e quero me beber!:S

domingo, 21 de agosto de 2011

Linhas tortas...

Mais uma vez o abandonei...
Deixei-o sozinho... pobre lugar insosso, opaco, doente... te deixei ao vento!
Essa é a minha natureza... não cultivo por muito tempo, abandono e volto... e abandono de novo e volto de novo...
Me deram asas... simplesmente voo!
Levo nada comigo... talvez a minha consciência, e quem sabe seja ela que me faz retornar... que me faz querer olhar e ver o que pode nem mais me pertencer...
Preciso mais do que aceitação, prazer, conforto... algo sem nome, indefinido... isso que procuro.. e que não acho!
Isso que escrevo em linhas tortas e não decifro!

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Falando de diário...

Tema sem nexo... isso é que não me falta... o fato é que agora já praticamente adulta resolvi tentar novamente ter um diário... ou melhor tentei, porque escrevi uma vez só em duas semanas...
Realmente minha época disso passou e eu a perdi... não por falta de vontade ou assunto, mas sim porque vim a saber que todos os meus desabafos mais íntimos, eram explorados por outra pessoa...
Uma grande falta de respeito com uma adolescente ainda deslumbrada com a vida, e que com raiva após saber do acontecido resolveu rasgar todas as folhas e colocar no lixo...
Quantas histórias foram no lixo, quantas lágrimas, quantos sorrisos, quanta expectativa, quantos sonhos.... parte do que eu era todos os dias... tudo jogado fora!
E foi por isso que desisti... foi por isso que deixei meu bom tempo de menina/moça passar... por simplesmente detestar e ainda não suportar o peso de uma privacidade invadida!...
Gostaria de ser adolescente de novo... seria bom passar por estes passos simples, porém fascinantes de uma garota se descobrindo e registrando cada passo...
Infelizmente se foi, como tudo da minha vida se foi... eu me fui... bye

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Inesperado parte II

Cheguei em casa, revisei o conteúdo da aula e me dirigi para a janela do meu quarto... temperatura negativa na cidade e eu olhando aquele céu estrelado comum ...
Pensando na vida acabei puxando assunto com meu querido Valde...
Lembrei a ele que em outras noites enquanto conversávamos como hoje, sempre acabava recebendo algum sinal que me perturbava ou melhor me alegrava... lembrei-o também que outrora quando estava eu com meu amigo Robson falando sobre ele, esse mesmo sinal foi me dado...
Pedi então que mostrasse que nosso amor não tinha acabado com sua morte, que fizesse eu sentir sua presença novamente... foi quando olhando fixamente para as estrelas, vi como das outras vezes um pequenino cometa cair...
Me senti quente nesta hora, sua presença ficou evidente... pude ter certeza de que olhas por mim, que ainda me adora e que o fato de não estarmos perto fisicamente não significa que nosso sentimento forte acabou!
O que tenho agora é agradecer pelo zelo!Você é minha estrela agora, essa que me aquieta e me faz viver com a esperança de ver-te novamente..................amo-te como sempre.... pra sempre...

Sempre a mesma!

Estou na faculdade agora... fiz a última avaliação do semestre, fui até o bar da esquina com dois amigos beliscar alguma coisa e jogar conversa fora... está frio, o vento muito forte que parecem navalhas afiadas passando pelo corpo... a que gostoso...
Muito bem, comentei porque estou aqui, o que já fiz e agora vamos para o que estou fazendo e pensando!...
Me dirigi aqui pro laboratório porque não tinha mais o que fazer... estou cansada e queria de alguma maneira descarregar essa "agustiasinha" chata que estou sentindo... ... lembrei de meu diário então, que sei que estaria a minha espera para qualquer hora...
Estou esgotada fisicamente e emocionalmente (nenhuma novidade nisso), mas... sei lá, tirando a universidade minha vida está uma droga, é uma droga, ... não era isso que esperava pra mim... aliás nunca me passou pela cabeça tamanha inerência!...
Sinto-me aquela que vive se lamentando mas poxa... perco as pessoas que amo, as coisas não saem nunca como eu quero que saiam... sou uma legítima fracassada!...
Hoje é o aniversário de 9 meses de falecimento do Valde, isso ajuda e muito pra esse meu estado precário mas venho perdendo tanto ao longo desses anos...
Hoje as parcelas se agruparam e acabaram me deixando no fundo do poço...
Até mais tarde, amanhã ou nunca querido amigo... não tenho certeza se volto...  tenho certeza de nada na verdade!

sábado, 25 de junho de 2011

Outono... as folhas caem no chão!

O vento limpa a cidade, vare suas folhas caídas, tira a poeira... percorre entradas e saídas, becos e mansões...
Ele não pede licença... apenas invade!
Não há consentimento, age naturalmente por vontade própria...
Horas mais intensamente, horas mais suave... avassalador e inconstante.
Recesso nas atividades, causa arrepio e enclausura as pessoas no aconchego de seus domicílios e estabelecimentos...
Vai pintando com seu ato de passar imagens uniformes... abstratas... dignas de aplausos...
A platéia dá as costas, não é importante, não é extraordinário...
E a face da tristeza se apresenta, se mostra aos que se permitem ver...
Tão bela, tão profunda, escancaradamente presente...
Em seus uivados casa com uma boa música clássica, um escritório abarrotado de livros e um poeta atirado em uma cadeira debruçado na escrivaninha entregue as palavras... melancolia deslumbrante, tristeza divina, o misto do conhecido com o imaginável...
Tudo flui, as engrenagens se movimentam...
Quem dera morrer de amor nessa hora, quem dera representar um maldito num desses palcos da vida... quem dera ser pra sempre ser só... quem dera poder arrancar lágrimas...
E frio, acaba por si com o fim de um vento intempestivo.

sábado, 11 de junho de 2011

Borboleta possessa!!!

Mais um chá de sumiço, mais uma ausência prolongada... me escondo pra me recompor....
Mal formada já apareço de volta, sem graça nenhuma, sem grandes novidades, sem tudo!
Estou estudando, estou trabalhando, estou sem tempo...
...sem tempo pra pensar, pra sentir, pra sonhar, até pra me lamentar....
Sinto falta das lamentações intermináveis, daquela melancolia filosófica, daquela beleza toda...
era minha arte... continua sendo!
Estou tão humana, tão normal,... faço o que todo mundo faz... por obrigação, por convivência...
..discuto, reclamo, teimo, me estresso, "fico possuída" com essa cambada toda... essa proximidade com eles me faz ficar intolerante .... tão chatos........ só de pensar tremo!
Em alguns momentos desejo até voltar a vidinha que levava... sozinha eu "existia" melhor!--'

domingo, 10 de abril de 2011

  
E quantos dias se passaram sem eu olhar para trás,...fingindo não os perceber...
Correndo no infinito para lugar nenhum... seguindo estrelas que eu criei...
Tudo termina, mas tudo o que foi mesmo terminando paira pelo ar dos pensamentos...
A lembrança dos momentos alegres me deixam triste por não ver possibilidades de um replay!
E a gente sobrevive a tudo... almeja novas coisas, projeta uma nova história...porém...o que foi continua sendo o que foi...e não expressar nada que queira dizer sobre datas passadas não significa que esqueci...
No fundo continuo sendo a Vanessa... esse aglomerado de sentimentos que não consegue se definir...
Mesmo invisível sempre estou aqui, sempre estou chorando, sorrindo ou "nem cá nem lá"!
Lembro todos os dias...
Sinto falta todos os dias... fico "surtada" todos os dias ou ainda inerte todos os dias...
Todos os dias tenho vontade de escrever...mas não escrevo!

sexta-feira, 11 de março de 2011

Triste lagartinha!

Ahh como é difícil crescer... meu rosto de adolescente quase menina ainda se enche de lágrimas ao enxergar as mudanças...
Tenho dificuldade em aceitar os meus esperados 18 anos... gostaria de poder voltar no tempo!
Talvez essa culpa que eu sinto em ir me tornando mulher aos poucos venha dessa imagem de garotinha que projetam em mim... 
Não queria ter perdido minha inocência, doçura e delicadeza de outrora ... não queria que meu mundo tivesse começado a girar como o de todos... queria ainda sonhar com contos de fadas!
A realidade me incomoda...me inquieta...tira minha paz e me frustra!
Não era isso que eu via,...nem que eu esperava!...amputaram meus sonhos....tiraram aos poucos o que eu mais gostava!...
Deve ser por esse motivo que não consigo me adaptar nem gostar do que seria natural pra mim....pelo simples fato de que eu nunca desejei realmente sair da infância...do fantasioso!...
...sinto raiva dos romances dos livros e filmes por serem tudo mentira...a água que brota dos meus olhos agora borram os rabiscos do meu caderno....e assim vai...!

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

INESPERADO!

Era eu... uma garota que transitava em meio a multidão!O ritmo era mais frenético do que em festas populares... danças estranhas, passo acelerado!
Alguns rostos familiares... outros que nunca tinha visto..
Uma vontade inexplicável de prosseguir de encontrar alguma coisa que estava a minha espera...e assim fui...continuei andando com agilidade contornando meus obstáculos e desviando os que passavam!
E num momento parei olhando para frente  avistei um rosto conhecido... ele fazia uns movimentos que nunca tinha o visto fazer... e sem que eu pudesse dizer qualquer coisa caiu desmaiado no chão... a terra tremeu, as vozes se apagaram e não existia mais confusão nenhuma ao meu redor...corri até ele e vi seu corpo jogado no chão...frio, pálido e ao conferir sua pulsação percebi que já estava sem vida!
Explodi em lágrimas ...minhas mãos pressionavam aquela pele que mais parecia massa fina de pizza; tentando em último ato para trazê-lo de volta!...não consegui e aquele último uivo de dor que inflamava minha garganta libertou-se e me fez acordar aos berros...sim aquilo havia sido apenas um pesadelo!






NOTA: vivi isso à noite passada!Querido Robin te cuide pra que meu sonho ruim não passe disso!

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Como poderei escrever alguma coisa de diferente sendo que isso é praticamente um diário e o que sinto não muda muito?


FATO...

O tempo não pede licença!Passa e leva tudo!


Não parece mas hoje faz um ano e quatro meses já!
Como o tempo passa...
A nitidez das lembranças faz parecer tão recente...porém os acontecimentos ao longo desses meses mostram como isso foi lá atrás!
A maior parte das lamentações se foi... evolui muito a partir daquilo.
Descobri o limite da minha paciência, comecei a pensar antes de falar e fazer, aumentei meu auto-controle, me priorizei e principalmente...vi que o tão falado amor não é tudo na vida, não é o bastante!
Paciência...pratiquei esse ato mesmo quando não queria...por ser obcecada por esse alguém.
Passei a refletir mais o que falava e fazia por saber que isso podia/pode ferir demais...simplesmente por saber a dor, por ter sentido na pele!
Auto-controle ...quando milhares de vezes reprimi minha vontade de surtar, de perder o bom senso e partir para o ataque, e me contendo por saber que após ficaria com meu orgulho ferido!
Me priorizei... colocando minhas vontades meus anseios a frente dos de terceiros...
Deixei de ser uma menininha chorona, que entrava em desespero e agia impulsivamente sempre pelos próprios caprichos sem notar que ao meu redor existia um mundo inteiro!
Parei de acreditar em contos de fadas....firmei meu pé no chão e comecei a criar menos expectativa em cima das coisas e pessoas.
Comecei a entender melhor as atitudes alheias...seus meios e seus fins!
Percebi que nada é capaz de me matar e que tudo é uma questão de adaptar-se...até com o desagradável!

O início foi difícil...meu comportamento foi idiota... quis mostrar o que não existia...Minhas lágrimas diárias de recém acordar e antes de dormir nunca teve espectadores...sabia que as pessoas que  viviam comigo não tinham culpa das minhas angústias,além de que não queria passar uma imagem de fraca!
Tudo foi correndo como devia correr...
Nem tudo mudou para melhor ....lógico que não...e mesmo mortificada por muitos golpes que a vida acabou me dando sinto-me forte...forte apesar de tudo!
Como me disseram...aprende-se mais com lágrimas do que com sorrisos!
Cresci dez anos em um e meio!

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Sem título!

O medo de perceber o que não quero me faz tremer ...
A dor de ver o que me faz mal me faz dar as costas e sair andando como se nada estivesse me afligindo...
Por ser incrédula ao que dizem prefiro nem ouvir...
Os fatos da vida me fizeram perder a espontaniedade e exuberância que tinha...
Um dia escrevi em meu caderninho de cabeceira que nunca mais criaria situações/ilusões e que viveria com a realidade...somente com a realidade...sem uma gota de irreal!Prometi isso pra mim...pensei que isso me livraria de toneladas de lágrimas, sofrimento,...angústia!
Segui a risco a minha promessa... só que não sabia que sem sonhos ninguém vive...
Hoje sei que preciso de um pouco de fantasia... esse era o combustível do meu corpo que agora está estacionado em uma beco qualquer... sim...sei que preciso mas..."desaprendi" a criar esse tipo de coisa...minha fábrica fechou...!
A emoção acabou... o entusiasmo também...
A euforia de atingir algumas coisas que almejei em outra época é apenas fachada!Na verdade não estou nenhum pouco contente com tudo...com o mundo!
Dois dias atrás uma amiga minha me disse que não conseguiria viver sozinha...nem por um dia... que necessitava de pessoas, movimento... fiquei quieta e só pensei o quanto somos diferentes uma da outra... eu gosto do contrário!
Como tudo pode ter mudado tanto?
O que antes me faria sair esmilinguida , agora me faz no máximo piscar os olhos!
As pessoas me chateiam e imagino que eu cause o mesmo efeito a elas...
Se antes minha companhia era querida ...atualmente nem isso ela é...
Por voltas tenho vontade de dizer: -Eii olha pra mim...veja que eu não sou o que estou mostrando ser...note...
Me calo e deixo que se enganem...talvez seja bom que ninguém consiga ver minha versão real...
Estou confusa e essa postagem não saiu como eu esperava...
Senti isso tudo e tinha que desabafar com alguém...como não tinha esse alguém...desabafei com um simples bloog inútil!
GRATA pela atenção!

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Preciso de uma mudança urgente!

Hoje reencontrei um amigo que a muito tempo não via...
Nos meus planos tinha muita coisa para falar/contar e acabei emudecendo!...não sei porque e nem como isso aconteceu!Estou sem entender até agora....
A partir disso na viagem de volta para casa refleti...de que jeito terei uma vida agradável se eu não sou agradável?.... minha áurea é negativa, pesada, tensa...
Até gosto de mim e do que penso mas não me suporto....imagino então o quanto sou insuportável aos outros.... como podem me aturar?Será que é por educação?...ou por gratidão ou algo do gênero? ou quem sabe seja por pena....
Sem respostas...
Gosto de ficar sozinha....optar pela solidão é gostoso mas ter que se adaptar a essa condição sem direito a escolha é um pesadelo!Não pretendo passar por isso também!...Preciso de mudanças ...de novas metas... de novos desejos...de adrenalina...de algo que me traga o que eu já senti...do contrário acabarei me expulsando do meu próprio corpo!

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Tive isso pra essa semana!

Essa semana foi mais uma de tantas frustradas... quanta decepção!
Minha mãe apontou o dedo na minha cara dizendo que gostaria que eu fosse normal...normal no sentido igual a todas as meninas da minha idade... disse que não gosta do meu jeito e que gostaria poder me manipular!Falou horrores...me deixou no chão espezinhada!
Eu retrucava concordando com o que dizia deixando-a cada vez mais nervosa....até que minha raiva chegou no nível máximo e mesmo controlando minha vontade imensa de dizer muitas me limitei a um simples...."não pedi pra nascer", "quem devia ter morrido era eu e não o Valde, pelo simples fato de eu ser toda errada" e "compre uma boneca e cuide ou simplesmente faça outra filha e more com ela!"
Que raio de amor é esse que não se preocupa com a pessoa amada?
Cada palavra faz eco na minha cabeça...martelam...me tiram o sono e me fazem sentir dor!Parece que não basta a tristeza que já trago comigo...precisam sempre colocar um pouquinho mais!
Estou rodeada por inimigos ou por amigos pouco interessados com meu bem estar... queria me isolar em uma caverna escura e fria!