Loading...

Caros corajosos!

Saudações...sejam bem vindos ao meu humilde casulo que ainda teço!
Se não conseguirem compreender algo... nem tentem mais...até porque tudo o que aqui é mostrado sai da mente de uma pobre borboleta!
GRATA

"Torna-te quem tu és"!

"Torna-te quem tu és"!

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Depois de um dia super atarefado e corrido finalmente vou ao meu banho!
Debaixo da ducha relaxei e senti gota por gota cair em meu corpo... assim fiquei por longos minutos buscando energias na água que me purificava!
Saí dali, apanhei minha toalha felpuda e me envolvi dentro dela dirigindo-me ao meu quarto!Cheguei em meu cômodo favorito praticamente despida e sem pensar duas vezes ao avistar meu cigarro sobre a escrivaninha , entrelacei-o em meus dedos em um movimento brusco seguindo até a janela!
Acendi com muita sede e aos poucos vendo a fumaça subir percebia que estava queimando meus pulmões e minha alma junto ao tabaco!
Terminei ...e muito tonta atirei-me em minha cadeira giratória com um certo estrondo!
Permaneci quieta por alguns segundos até minha tontura passar e segui até perto onde estavam minhas roupas sequinhas e quentes e as vesti!!
Sentei-me novamente na cadeira e resolvi relatar o simples acontecimento de hoje aqui neste diário de uma borboleta maluca!

FIM....acho que agora em breve vou desligar meu computador ...vou ler um capítulo de meu livro e vou cair em sono profundo!!Boa noite....e até amanhã querido bloog!

terça-feira, 27 de abril de 2010

Pequeno gigante!

Hoje ao pensar nas pequenas coisas da vida me encantei com todo o contexto envolvido!
As coisas passam na frente de nossos olhos e a gente apenas olha mas nem sempre vê!Deixamos de nos interessar pelo simples por ambicionar maiores projeções!
A sensação de acordar e poder contemplar o desenho que as nuvens fazem no céu, a flor que desabrocha gratuitamente com toda sua beleza, a metamorfose que dá asas não só a borboleta mas a imaginação e aos sonhos, o canto singelo dos pássaros e por fim a graça de poder ver, ouvir, sentir e respirar tudo isso !
Realmente isso tudo se torna um espetáculo quando nos permitimos vê-lo!Realmente é uma pena e chega a ser até uma brutalidade o que muitos fazem inclusível eu muitas vezes!Ingratos, fechamos os olhos ou ignoramos pequenos milagres que acontecem com nosso consentimento ou não!Usurpamos e destruímos patrimônios que não nos pertencem por puro egoísmo!Destruímos a nós mesmos por orgulho e comodidade!Deixamos de viver procurando sentido nas coisas erradas!!
Somos burros diariamente!

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Lágrima

Lágrima que tantas vezes despencou de meus olhos...lágrima que tanto disse de mim quando eu quis ficar calada!
Lágrima que dispensou qualquer explicação porque em todos os momentos mostrou tudo!
Lágrima que tentei guardar...e que por voltas consegui reprimi-la dentro de mim para não me mostrar fraca!
Lágrima de alegria...por ver que as coisas não estavam perdidas e estavam ao alcance de minha mão!
Lágrima de desespero que ecoava gritos de aflição ao seu ato de cair...!
Lágrima que aliviava e me fazia lembrar que apesar de tudo eu ainda estava viva!
Lágrima de fúria que se libertava de meus olhos como gotas de raiva!
Lágrima quente que eu podia sentir rolando por meu rosto gelado!
Lágrima que tirava as correntes e me abolia das mais absurdas sensações...
Lágrima que simbolizou tantas vezes destruição que eu sentia!
Lágrima que molhou o ombro de alguns...que banhou meu travesseiro...que se agrupou aos pingos de chuva!
Lágrima que escondi...que nunca ninguém pode ver...que se mostrou somente a mim mesma!
Lágrima que eu expulsei ...que não permiti que sobrevivesse nessa minha nova "vida"!
Lágrima que não mais aparece...nem como visita...que só se desbloqueia sozinha ,em silêncio , no escuro e dentro de meu peito!
Nova lágrima...nada convencional ...da alma e não mais do corpo sedento de antes!!!
Lágrima...aquela que me abandonou e hoje deixa a existência de minha dor mais seca!!!

domingo, 18 de abril de 2010

Sempre em algumas conversas com pessoas que a muito tempo não vejo ao mencionarmos o termo "mudanças" a minha resposta é sempre a mesma ...objetiva ,simplória ...verdadeiramente direta sem rodeios...!"-por aqui as coisas não mudam!"...ou "-tudo como sempre!"

Realmente eu podia pensar dessa maneira...fui moldando minha estrutura devagar demais...os resultados não eram tão visíveis a mim como eram e são aos demais!

Nesta semana de abril de 2010 perdi duas pessoas próximas a mim...uma tia e um conhecido/amigo. Logo ao saber do acontecido cambaleei até a porta de meu armário e de imediato apanhei minhas vestimentas da cor adequada a ocasião...tudo preto!
Já vestida com as roupas escolhidas agarrei meu delineador e tracei um forte risco em cada um de meus olhos...saí dali pronta para virar a noite em uma casa mortuária na cidade vizinha onde encontrava-se minha ente morta!
Ao chegar participei das cerimônias costumeiras das pessoas...-aproximação até o caixão do falecido , cara entristecida , reza, consolo aos familiares e retirada!Assim fiz !
A noite se arrastava e a madrugada chegava com seus clarinetes! Podia ver a poucos metros de mim casinhas repletas de flores , cruzes e velas...habitadas por defuntos por certo alguns já totalmente decompostos , gelados e talvez esquecidos!!!
Por voltas caminhei em meio dessa cidade de povo calado e hospitaleiro mas mesmo assim o tempo teimava em somente se rastejar!!A cada espaço de tempo presenciava surtos de desespero e logo calmaria após...a neblina caía e o frio fazia-me encolher dentro de minhas roupas!
O sol nascia e indivíduos cansados da espera para o sepultamento caminhavam de um lado para o outro a fim de espantar o sono que tentava de todas as maneiras derrubar um por um!
Rezas e mais rezas... e a hora de lacrar o caixão de madeira trabalhada tinha chegado!Assim foi feito e gritos, rangeres de dentes e desespero se evidenciavam no ambiente...talvez nenhuma pessoa tenha sido forte o bastante para não cair em desespero junto dos outros!
Foi neste momento que percebi o tanto fria que eu acabei me tornando...aquilo não abalava minhas estruturas...nenhuma aliás...o que eu sentia naquele momento era remorso por ter me tornado naquele momento insensível ao extremo...a brisa fria soprava em meu rosto a sensação de que nada mais pode me atingir, a sensação de que nem mais humana sou!

Continuei até o final daquele episódio apática, pálida e inexpressiva!!
Daquele momento até agora posso dizer que tenho um novo conceito sobre mim...se me perguntarem se mudei direi que podem correr o risco de não me reconhecerem mais!

domingo, 11 de abril de 2010

Dentro de meu peito existe uma ferida escura, vazia e aparentemente cicatrizada ...ferida essa que se construía ao longo de quase duas décadas...ela é discreta quase transparente , só que basta meus olhos abrirem com a invasão perturbadora dos raios dolorosos de sol pela manhã, que ela volta a mostrar a força que possui dentro de sí...como um enorme buraco negro no sistema!
As vezes eu pareço estar dentro desse buraco!Lá dentro eu grito desesperadamente por socorro, rasgo minha pele com minhas próprias unhas, chuto as "paredes", exorcizo meus demônios, danço com meus anjos e glorifico meus males!Nada pode ser tão estranho como isso...não saberia esclarecer com exatidão esse lugar que me abriga ou aprisiona...!
Penso, penso muito...reflito e tento encontrar o que poderia me levar a VIDA...na qual eu acho que nunca estive!Saio desse lugarzinho imaginário e me deparo com minha fria realidade, tão fria quanto meus sentimentos!Olho ...nada vejo...meus caminhos estão escuros...todos eles!Olho pra eles e o que posso ver em meio a névoa são pedras e espinhos!
O que me resta depois disso?
Perseverar ??
Seria hipocrisia de minha parte tentar passar novamente por esses obstáculos propostos a mim...!Ok...pensando assim sentei-me a beira do caminho...esperando o tempo passar e com ele a minha juventude!Continuo nessa espera...a dor me aborda e penetra em meus corpo como lanças e facas afiadas...essas "coisas" não param...continuam cada vez mais, progressivamente me atacando e me exterminando lentamente obrigando-me a viver nessa tortura!
Meu medo é que isso dure demais...minhas mãos estão envoltas por correntes e cordas.Não ...não...me soltem ou me matem de vez...acho que nem eu mereço tudo isso!!!!
Me devolvam o direito ao menos de vagar por aí não só por pensamento...me devolvam o que eu tinha...mesmo que tudo fosse pouco demais, pra mim era o suficiente pra sobreviver!!!PLEASE!