Loading...

Caros corajosos!

Saudações...sejam bem vindos ao meu humilde casulo que ainda teço!
Se não conseguirem compreender algo... nem tentem mais...até porque tudo o que aqui é mostrado sai da mente de uma pobre borboleta!
GRATA

"Torna-te quem tu és"!

"Torna-te quem tu és"!

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Reflexão 1

Faz tempo que ando refletindo e chego numa única conclusão plausível: trabalho com utopias, vivo simplismente, utopicamente, e é fato.
Sonho com um mundo melhor, com pessoas interessantes, preocupadas com o que acontece, racionais, voltadas a objetivos que busquem harmonia entre todos.
Não sei, mas engraçado que a realidade não consegue me afastar destes sonhos... perder a esperança. Mas apesar disso, a vontade de ver as coisas mudadas me frustram bastante.
Não me importa de ser chamada de sonhadora, dramática ou qualquer coisa assim... eu acredito de verdade que ainda temos chance, que tudo não está perdido, e gostaria de verdade, que mais pessoas pensassem como eu. Posso fazer uma diferença mínima onde vivo, onde alcanço, mas se muitas pessoas fizerem o mínimo que podem a mudança acontece.
Sou uma no universo que gostaria poder mudar ele... "tenho em mim todos os sonhos do mundo..."

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Vontade...

Hummm... céu escuro, vento forte e saudade. Ahh... só eu e Deus sabemos o quanto eu queria estar envolta em teus braços, beijando teus lábios, tocando tocando todo teu corpo...
Ah que barrulho de chuva mais gostoso pra se ficar fazendo carinho o dia todo... sem pressa, sem limites...
Ahhhhhhh como eu queria... como queria.
...e de tão complexo não se tem o que dizer... só sentir!

terça-feira, 24 de julho de 2012

A chuva caía, o vento soprava forte, o inverno mostrava toda sua força...
Mãos geladas, corpos arrepiados mas ao mesmo tempo aquecidos pelos lençóis e pelo contato da pele, que ardia... ardia de vontade.
Lábios sincronizados... se encontravam em beijos suaves e urgentes...
Mão entrelaçadas nos fios de cabelo, dedos que pressionavam a nuca, boca que corria ao pescoço e arrancava gemidos...
E o aconchego do amor acalentou a alma... nos amamos como se fosse a primeira e também última vez...
Agora pertencemos um ao outro, e essa chuva fina de hoje, dia cinzento, me faz sentir mais saudade. Sigo contando até os minutos para ser sua novamente....